Como escolher o cirurgião plástico

A formação médica consiste numa faculdade de 6 anos de duração, onde o profissional se submete a uma prova seletiva ao término desta, e ingressa nas especialidades básicas como a Residência de Cirurgia Geral (2 anos de formação), pré requisito para a prova de Residência para Cirurgia Plástica (3 anos de formação). Ou seja, são 11 anos de formação desde a entrada na faculdade. Vale a pena lembrar que a Residência Médica é o título conferido pelo Ministério da Educação, em instituições/ hospitais que são pré-aprovados para a formação completa do cirurgião.

Há alguns anos, a SBCP fez alterações nas regras de ingresso ao Título de Especialista. Passou a solicitar dois anos de Residência Médica, como Cirurgião Geral, e 3 anos de Residência em Cirurgia Plástica. Utiliza-se análise curricular, prova escrita e oral, e se aprovados, conferem o título de Membro Especialista. Após dois anos de experiência profissional pode-se fazer a prova para Membro Titular. Todos os cirurgiões plásticos têm registro no Conselho Federal de Medicina, e este garante que você esta sendo atendido por um Cirurgião Plástico Estético ou Reparador.

A experiência como cirurgião geral traz grande noção da anatomia do corpo humano, em cirurgias de reconstrução e tratamento das mais diversas enfermidades cirúrgicas. Este aprendizado anatômico e de enfermidades desenvolve o senso de risco de vida da cirurgia.

Preenchimento facial

As técnicas de preenchimento facial são utilizadas tanto em cirurgia estética como em reparadora sempre que existe uma deficiência volumétrica em determinadas regiões da face. As áreas tratadas mais frequentemente são os sulcos nasogenianos (ao redor da boca), os lábios (mucosa e pele), as regiões malares (maçã do rosto), o queixo e as bochechas, estas últimas notadamente em pacientes soropositivos.

É fundamental antes de tudo realizar um diagnóstico e expor claramente uma ou várias propostas de tratamento. Quando uma face apresenta deficiências volumétricas em regiões da face, a primeira opção seria o preenchimento. No caso de existir maior flacidez e alterações anatômicas decorrentes e inestéticas principalmente em zonas de pescoço, frontal e meio da face, a cirurgia ou chamado “lifting facial” é proposto. Podemos ainda ter pacientes em que os dois métodos serão usados simultaneamente.

Os mais seguros e aprovados são a gordura autóloga (enxertos de gordura do próprio indivíduo), o ácido hialurônico e a hidroxilapatita de cálcio. A indicação varia geralmente na seguinte forma, gordura para sulcos profundos e durante cirurgias, o ácido hialurônico nos defeitos mais leves e nos lábios, a hidroxiapatita como recurso para sulcos das maçãs do rosto e queixo. O PMMA parece ficar reservado principalmente para sulcos e depressões, nos pacientes soropositivos, que sofrem bastante com este estigma facial e em outros casos esporádicos com muita cautela.

O PMMA é composto de microesferas que não são fagocitadas pelas nossas células tornando-se permantes no local implantado. Isto por um lado poderia parecer vantajoso para o paciente, do ponto de vista econômico e prático, porém são frequentes as complicações com a formação de endurecimentos (granulômas) e outras mais raras devido principalmente a má técnica, como as embolias.

A sua retirada é geralmente problemática devido à característica de implantação do produto nos tecidos, formando uma liga muito complexa. Ainda poderíamos salientar que a longa permanência desta substância pode não ser adequada com o passar do tempo, já que os tecidos sofrem ação da gravidade e das alterações naturais, como perda de fibras elásticas e colágeno. Ou seja, aquele preenchimento que pode ter sido bom em um determinado momento da vida pode não o ser em outra faixa etária. Cabe ao cirurgião então, demonstrar ao paciente os prós e contras do medicamento e decidir pelo melhor tratamento.

Redução de mamas

Trata-se de uma cirurgia para reduzir e modelar as mamas. Sim existe grande procura para este procedimento. Segundo pesquisa recente da Data Folha são realizadas aproximadamente 55.000 cirurgias desta modalidade por ano em nosso país.

Peso das mamas, flacidez dos tecidos, alterações da postura, dores na coluna vertebral e formato pouco estético das mamas.

Sim. Existe normalmente nestes casos uma desproporção e desarmonia no biotipo, como, por exemplo, mulheres com quadril fino e mamas muito grandes.

Sim. Devemos aguardar o completo desenvolvimento, que ocorre geralmente após a puberdade.

A cirurgia visa a remoção dos excedentes de pele, glândula e tecido adiposo e modelagem da nova mama. Dura cerca de 3 a 5 horas.

Sim, ficam ao redor da aréola, verticais e horizontais, no chamado “T” invertido, que tendem a tornarem-se muito pouco perceptíveis, depois de alguns meses.

Sim. Em pacientes com propensão. O mecanismo é a formação exagerada de colágeno e nestes casos, existe uma história prévia e podemos lançar mão de métodos preventivos.

Geralmente não. Os medicamentos são bem aceitos e pós-operatório bem tranqüilo. As roupas ideais são vestimentas leves, que abotoem na frente e soutien cirúrgico de contenção.

Plástica de abdômen

Os tipos de abdômen com possibilidade de serem tratados pela Cirurgia Plástica, classicamente se classificam em quatro tipos: o primeiro teria apenas excesso de gordura, sendo o tratamento somente uma lipoaspiração. O segundo teria presença de gordura e pequeno excedente cutâneo. A conduta neste seria lipo e uma miniplástica abdominal (descolamento da pele abaixo do umbigo). O terceiro tipo teria gordura e grande flacidez, que podem ser corrigidas com abdominoplastia clássica, e finalmente no quarto tipo, onde encontramos flacidez, gordura e hérnias associadas. Neste caso, as cirurgias são abdominoplastia e herniorrafias.

A lipo consiste em retirada de tecido adiposo por aspiração. Na abdominoplastia, o cirurgião realiza um descolamento da parede abdominal acima dos músculos, traciona o tecido descolado, remove excedentes, corrige a flacidez muscular e ainda pode também remover gordura.

Na lipo são incisões de 8mm em média e na abdominoplastia é feita na marca do biquini logo acima dos pelos pubianos.

Podem ser: anestesia peridural ou raquianestesia, ou ainda bloqueio geral.

De 24 a 48h, normalmente.

Sim, é recomendada uma alimentação frugal, rica em líquidos, e pobre em gorduras saturadas e açúcares simples. A pele também deve estar limpa e hidratada.

Para uma recuperação rápida, recomenda-se evitar esforços, sol e manter-se curvado nos primeiros dias durante a caminhada.

Sim. Na lipo, por 30 dias, e na abdominoplastia, por 60 dias, visando um maior conforto para o paciente assim como uma melhor acomodação dos tecidos operados.

Na maior parte dos casos, com 15 dias, pode-se voltar à vida social normal. Após 30 dias, exercícios leves, e após 60 dias, ginástica normal.

Plástica depois da gravidez

As mais procuradas são abdominoplastia, na qual retira-se todo o tecido flácido e há o reposicionamento dos músculos retos abdominais; as mamoplastias, que podem ser redutoras ou apenas para suspensão da mama flácida, com ou sem inclusão de próteses de silicone; e a lipoescultura, que retira o tecido de gordura excedente, definindo o contorno corporal. As alterações corporais mais importantes ocorridas na gravidez sofrem influência da herança genética, oscilações hormonais e principalmente do ganho de peso excessivo. Algumas regiões são mais afetadas que outras.

No abdome, há acúmulo de gordura, afastamento dos músculos retos abdominais e a possibilidade de flacidez. Na mama, a pele estirada durante o aumento da glândula mamária, por causa da amamentação, pode não retornar ao seu tamanho natural, quando os hormônios se estabilizam reduzindo a glândula feminina. E é nas coxas, onde costumam se concentrar as gordurinhas localizadas.

Cada procedimento dura em média três horas, mas eles também podem ser realizados em tempo único, dependendo do estado clínico da paciente. Mesmo assim, é preciso paciência. O custo de cada procedimento varia entre R$ 4 mil a R$ 12 mil. Quando realizados no mesmo evento cirúrgico, podem ter redução de preço de 10 a 20 %, em média.

A ex-gestante só pode ser operada seis meses após o parto, devido ao aleitamento materno e a mudanças hormonais.

Evitar aumento de peso excessivo durante a gravidez. Caso planeje engravidar novamente, é melhor ter o segundo filho antes (mesmo antecipando os planos) e fazer tudo de uma vez ou já resolver o prejuízo do primeiro logo — isso ajudaria, por exemplo, a evitar intervenções mais profundas depois de uma segunda gravidez? O melhor para a mulher é finalizar o processo da procriação e então pensar na reconstrução dos problemas corporais causados pela gravidez.

A mulher pode engravidar após uma cirurgia plástica, porém pode perder o resultado obtido e necessitar de uma nova intervenção.

Na cesariana, parece haver uma maior preservação da musculatura vaginal e perineal, diminuindo problemas como a incontinência urinária, por exemplo.

Caso seja necessário, a cirurgia antes da finalização das gravidezes, as incisões indicadas são as menores possíveis.

As próteses são texturizadas de perfil baixo, alto e super alto. Sendo a mais usada a de perfil alto. Para cada técnica citada, vamos detalhar: duração e risco da intervenção; custo; tempo de recuperação; eventuais contraindicações. O risco é mínimo caso a paciente encontre-se em boas condições clínicas.

Realizar a técnica correta, fazer um bom diagnóstico e indicar o procedimento efetivo para cada caso. A lipoaspiração deve ser baseada em fotos, medidas, relação peso – altura e textura da pele entre outras variantes para que o cirurgião possa alcançar um resultado ótimo.

Lipoaspiração de braço

A lipoaspiração tem sua indicação sempre que houver gordura localizada. Logo no membro superior, não fugimos desta regra. Caso este aumento de adipócitos for acompanhado de pele firme sem flacidez, a lipoescultura braquial será uma ótima opção terapêutica. Do contrário, será necessário um procedimento chamado braquioplastia, no qual a pele excedente é removida.

A cirurgia é realizada em centro cirúrgico sob sedação e anestesia local ou em alguns casos sob anestesia geral. São utilizadas, no processo, cânulas finas e médias, inseridas através de pequenas incisões, localizadas nas pregas do cotovelo e na axila. Utiliza-se infiltração prévia dos tecidos com soluções anestésicas. O processo permite a retirada de gordura com suavidade em aproximadamente trinta a quarenta minutos para cada lado. A medida da pressão arterial, que normalmente é aferida no braço, neste tipo de cirurgia, passa para o membro inferior sem problemas.

O membro superior pode ser aspirado em todo o seu contorno, sendo que os depósitos de gordura mais incomodativos estão geralmente ao nível do ombro, face externa do braço e da área dos músculos tríceps. A zona referente à face interna do braço na maior parte das vezes tem pele fina sendo pouco solicitada pelos pacientes.

Estas seriam de ordem clínica, ou seja, pela presença de patologias que poderiam impedir o ato cirúrgico e outras específicas do procedimento, como mencionado acima, em que existe a indicação de tratamento de flacidez através da braquioplastia com ótimos resultados, proporcionando um braço firme e com cicatriz bastante dissimulada na zona interna do braço ou na axila.

Este período costuma ser bem suportado, já que normalmente utilizamos medicamentos para analgesia e controle do processo inflamatório, conforme o limiar de dor de cada paciente. Havendo então uma variação das dosagens e dos intervalos entre os medicamentos para cada caso especifico. O edema é bem controlado mantendo-se os braços ligeiramente elevados nos primeiros dias.

São, sem dúvida, imensamente gratificantes, já que um braço excessivamente volumoso e disforme é desgracioso, obrigando o paciente a freqüentemente escondê-lo alterando de forma importante a sua auto-estima.

Já nos primeiros dias é possível ver o resultado do trabalho cirúrgico. As pequenas cicatrizes podem, no entanto, demorar algumas semanas para tornarem-se menos visíveis.

Pacientes com gordura localizada no braço ou em varias áreas do corpo. Nestes últimos, realiza-se geralmente uma lipoescultura múltipla nas zonas de acúmulo. Outros nos procuram para uma lipoaspiração de braço, no entanto apresentam flacidez, que não melhora somente com a aspiração, sendo indicada a braquioplastia associada.

Hsites, Especializados em Web para a área Médica

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?