A primeira consulta geralmente é longa e detalhada. Falamos sobre os desejos e anseios de cada paciente, cabendo a nós médicos fazermos um diagnóstico e propormos um tratamento cirúrgico ou clínico. A partir deste momento damos continuidade à preparação solicitando-se exames pré-operatórios pertinentes e fornecendo pormenores sobre cada procedimento.

A alimentação deve ser balanceada e pobre em gorduras saturadas, açúcar refinado e produtos industrializados. A qualidade da pele vai depender grandemente da alimentação, exposição solar, cuidados de higiene e hidratação e ainda carga genética individual. Recomendamos a parada com o cigarro no mínimo 15 dias antes da cirurgia e a suspensão de alguns medicamentos que possam alterar o resultado da cirurgia.

Alguns medicamentos para o controle de doenças crônicas devem ser mantidos no período pré-operatório, no dia da cirurgia, como os anti-hipertensivos, anti-anginosos, antiarrítmicos, hipolipemiantes, anticonvulsivantes, broncodilatadores, antidepressivos serotoninérgicos (fluoxetina, paroxetina) e para tratamentos das doenças tireoidianas.

Os medicamentos que devem ser suspensos antes da cirurgia plástica, segundo a Sociedade de Anestesiologia são:

– Glibenclamida (Daonil®) – 24 horas;
– Clorpropamida (Diabenese®) – 36 a 48 horas;
– Insulina NPH – 24 horas, iniciar a regular; AAS – 07 dias;
– Heparina de baixo peso – 12 a 24 horas;
– Heparina cálcica ou sódica – 06 horas; Ticlopidina (Ticlid®) – 15 dias;
– Antidepressivos tricídicos (amitriptilina) – 03 dias;
– Inibidores da MAO (Parnate®) – 15 dias.;
– Inibidores do apetite (Sibutramina – Reductil®) – 15 dias;
– Fórmulas emagrecedoras – 15 dias;
– Varfarina (Marevam®) – 03 a 05 dias, substituir por heparina; Inibidores da enzima conversora (ECA) – no dia da cirurgia;
– Alho – 07 dias;
– Ginkgo biloba – 07 dias; Ginseng – 07 dias;
– Erva de São João – 07 dias.

A água tem inúmeros benefícios, que vão desde uma maior queima de gorduras, devido ao aumento do metabolismo, melhor controle da fome, remoção de toxinas, maior brilho na pele, menor fadiga por permitir um maior fluxo de nutrientes à todas as células, digestão facilitada com combate a prisão de ventre, oposição à muitas enfermidades, desde uma simples gripe, até a calculos renais, artrites, diabete, hipertensão, etc.

A atividade física moderada e equilibrada pode promover bem-estar e aumentar a qualidade de nossas vidas. Para a cirurgia plástica, principalmente nas lipoesculturas, um corpo com bom tônus muscular certamente irá realçar o resultado. Notamos também que mesmo os pacientes sedentários após uma plástica tendem a se cuidar mais iniciando programas de exercícios físicos.

  • Alimentos muito salgados ou picantes, pois são responsáveis por causar retenção de líquidos (pimentas caienas e malagueta, cebola, alho, rabanete, gengibre, alimentos condimentados em geral);
  • Se você for receber anestesia geral ou sedação, não poderá comer e beber nada para evitar vômitos durante a cirurgia que podem ser perigosos se aspirados para os pulmões;
  • Doces (bolos, tortas, chocolates). Eles prejudicam a cicatrização, por isso que diabéticos correm riscos muito altos em cirurgias complicadas;
  • Qualquer medicamento para emagrecer (inibidores do apetite), que eventualmente esteja fazendo uso, por um período de um mês antes do ato cirúrgico. Isto inclui também certos diuréticos;
  • Bebidas alcoólicas;
  • Obs: O fumo é terminantemente proibido, e deve-se informar ao seu médico os medicamentos que estão sendo ingeridos. Dependendo do medicamento terá que ser suspenso.
  • Dieta balanceada em proteínas para se obter melhor cicatrização, ajudando na reconstrução dos tecidos perdidos (clara do ovo, carnes, peixes);
  • Alguns nutrientes favoráveis ao processo de cicatrização são: Vitamina A / E / B1 / C / Magnesio /Zinco, tente procurar essas fontes (cenoura, queijo, fígado, abóbora, sardinha, gema de ovo, manga, tomate, semente de girassol, algodão e soja, óleo de semente de açafrão, óleo de soja, azeite de oliva, banana, couve, manteiga, nozes, carnes, amendoim, óleo de coco, gergelim e linhaça), é bom ressaltar que a cicatrização vai depender do tipo de laceração que a pele sofreu;
  • Dieta balanceada com muita fibra. Este cuidado evita o aparecimento de cólicas e da constipação intestinal no pós-operatório (frutas, vegetais, pão integral, nozes, legumes, cereais integrais e farelos);
  • Ferro, para evitar anemia e a dificuldades de cicatrização, O ideal é incorporar um cardápio rico nesse nutriente pelo menos dois meses antes da cirurgia (miúdos, carne de vaca, aves, peixe, gema de ovo (ferro e vitamina B12), feijão, lentilha, ervilha, tofu e outros produtos de soja,tâmaras, passas, damascos e melado de cana,pães e cereais enriquecidos com ferro, frutas cítricas e outras fontes ricas em vitamina C, que aumenta a absorção de ferro pelo organismo – laranja, acerola, limão, morango, vegetais verdes escuros e verduras em geral);
  • Mamão é uma boa pedida. A papaina encontrada nele é boa pra circulação, e ainda por cima tem propriedades cicatrizantes. Além de ser ótimo digestivo, e regular o intestino;
  • Jejum na noite anterior à cirurgia após uma janta leve (líquida);
  • Em alguns casos é necessário o uso de laxantes na noite anterior.

A alimentação é capaz de facilitar e muito o pós-operatório. Nesse período é importante optar por alimentos que ajudem a diminuir o inchaço e facilitem a atividade intestinal, já que o paciente ficará um bom tempo de repouso.

  • Doces e Chocolate
    Além desses alimentos não contribuírem para a digestão, oferecem gorduras e açúcares em grande quantidade. Interferem na produção de colágeno e ajuda a aumentar a flacidez. Encontra-se nos bolos, tortas, chocolates, balas.
  • Leite e derivados
    Causam prisão de ventre, gases e impede a absorção de nutrientes essenciais nessa fase. Isso acontece porque o leite aumenta a produção excessiva de muco no sistema digestivo, o que dificulta a eliminação de resíduos tóxicos pelos intestinos. Além disso, ele também é capaz de causar ou agravar a depressão: é no intestino que boa parte da serotonina, é produzida. Quando suas funções são prejudicadas, a produção de serotonina fica comprometida.
  • Gorduras Saturadas ou Trans
    Como salgadinhos de pacote, batata frita, a maioria das margarinas, pipoca de microondas, bolos, tortas industrializados e bolachas recheadas. Aumentam o nível do mau colesterol e diminuem o bom colesterol, aquele que ajuda a retirar as gorduras das células, facilitando sua eliminação do organismo. Também desequilibram os níveis de ômega 3 e 6, ácidos graxos essenciais que estão diretamente ligados ao processo antiinflamatório, que ajudam a evitar e combater inflamações.
  • Cafeína (café, refrigerantes de cola, chá preto)
    A cafeína exerce efeito tóxico e desidratante no organismo. Também leva às glândulas supra-renais à exaustão, aumentando o estresse, irritação, ansiedade, provocando dor de cabeça, fadiga e depressão.
  • Carne vermelha
    Dificulta a digestão, causa desconforto, sobrecarrega rins e fígado e ainda gera desequilíbrio entre as bactérias boas e nocivas que vivem no intestino, levando a prisão de ventre. Evitar ao máximo.
  • Alimentos fermentativos
    Evitar alimentos como feijão, lentilha, grão-de-bico, repolho e até as massas. A fermentação provoca a dilatação do estômago e pode aumentar muito a formação de gases e cólicas. Isso pode ser extremamente desconfortável para os pacientes, principalmente os que fizeram cirurgias abdominais.
  • Bebidas alcoólicas
    Álcool e remédio não combinam! A ingestão de álcool pode alterar o efeito dos medicamentos, potencializar suas propriedades provocando reações indesejáveis ou não resolver o problema.
  • Sal (embutidos, defumados, molhos prontos):
    Esses alimentos trazem alta concentração de sódio, que são responsáveis por causar retenção de líquidos.
  • Vitamina C
    Encontrada em frutas, principalmente em morango, laranja, goiaba, acerola e limão, nas verduras, no pimentão verde e no tomate. Ao serem cozidos, ou industrializados, os alimentos perdem a vitamina, é melhor comê-los crus. Tem como função: Preservar os ossos, dentes, gengivas e vasos sanguíneos, aumentar a absorção de ferro, ajudar o sistema imunológico e facilita a cicatrização.
  • Água, sucos naturais, melão, abacaxi e melancia
    Essas bebidas ajudam a hidratar o organismo, compensar a perda de líquidos e diminuir o inchaço.
  • Probióticos (iogurte e leite fermentado)
    São aqueles que contêm microorganismos que ajudam no equilíbrio da flora intestinal.
  • Ovo
    Fornece proteínas que fazem a reconstrução dos tecidos perdidos durante a cirurgia e são de fácil digestão.
  • Abacate
    Elimina o mau colesterol e combate os radicais livres. Com betacaroteno, vitaminas A, B, C, D, E, proteínas, cálcio, magnésio, fósforo, ferro, potássio. Regula o intestino.
  • Cenoura e Beterraba
    Ricos em betacaroteno, substância que se transforma em vitamina A e ajuda na cicatrização.
  • Abóbora, cenoura, damasco, manga, espinafre, couve, tomate e uva
    São alimentos ricos em ativos com propriedades antioxidantes que bloqueiam a ação dos radicais livres, liberados durante a plástica.
  • Castanha do Pará
    Traz selênio, um poderoso elemento antioxidante, que também elimina os radicais livres do organismo.
  • Salmão e atum
    Além de possuírem grande quantidade de proteínas, trazem gorduras boas, ricas em Omega 3, que ajudam a prevenir inflamações.
  • Fibras
    Melhora a função intestinal, além de diminuir os níveis de colesterol. Algumas boas opções: as verduras, legumes, mamão, ameixa, nectarina e cereais integrais.
  • Shimeji e shitake
    Possuem uma substância fitoquímica que melhora a imunidade.
  • Goiaba
    Rica em vitamina C, atua na formação do colágeno e ajuda a restaurar os tecidos.
  • Líquidos
    Tomar bastante água : 2 – 3 litros por dia.
Hsites, Especializados em Web para a área Médica

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?